Notícias sobre Esquizofrenia – Abril/2009


Do Portal Entendendo a Esquizofrenia
24/04/09 – Estudo americano surpreende pelos baixos índices de compreensão do que é esquizofrenia pela população geral
– Segundo pesquisa da National Alliance on Mental Ilness, quase 80% dos americanos sabem que a esquizofrenia é uma doença e que com o tratamento a maioria das pessoas pode ter uma vida independente e produtiva. Contudo, apenas 24% admitiram de fato conhecer o transtorno e 64% confundem esquizofrenia com múltiplas personalidades e 60% com violência. Entre os esquizofrênicos consultados, 95% consideraram que os serviços de psiquiatria e as medicações ajudam, mas apenas 1/3 faz algum tipo de tratamento (Ozarksfirst.com)…Leia Mais.
23/04/09 – Estudo acaba de vez com o estigma da violência entre portadores de esquizofrenia.
– A esquizofrenia é erroneamente relacionada à violência. Um estudo conduzido pela Universidade de Oxford na Inglaterra e publicado este mês na revista especializada Clinical Psychiatry acaba de vez com esta relação. Analisando 13800 pacientes esquizofrênicos através de dados disponíveis no registro nacional sueco, o grupo do Dr. Seena Fazel, coordenador da pesquisa, verificou que pacientes com história familiar de crimes violentos eram de 65 a 83% mais propensos a atos de violência do que pacientes sem histórico familiar de violência. Este resultado se manteve independentemente de fatores como renda familiar, nível de escolaridade e abuso de drogas e álcool. “Os achados da pesquisa deslocam da esquizofrenia para a história familiar da pessoa a razão para suas atitudes violentas, que podem estar relacionadas mais a uma predisposição genética para o comportamento violento ou à influência da criação por um pai ou uma mãe violenta do que à própria doença”, afirma Dr. Fazel (Reuters)…Leia Mais
14/04/09 – Jamie Foxx fala sobre seu novo filme “The Soloist”, uma história real sobre um músico esquizofrênico que vivia nas ruas de Los Angeles.
– Jamie Foxx estrela seu novo filme “The Soloist”, uma história real sobre a vida de Nathaniel Ayers, músico prodígio portador de esquizofrenia que vivia nas ruas de Los Angeles, previsto para estrear próximo mês nos EUA. Foxx revelou, em entrevista, como foi difícil encarnar esse papel no cinema, pois percebeu como a mente humana é frágil e que durante as filmagens teve medo de surtar, procurando um psiquiatra e uma terapia, pelo medo de também desenvolver a doença e para que as suas dificuldades pessoais não interferissem na sua performance. O vencedor do Oscar de Melhor ator pelo papel em “Ray” contou que aos 18 anos passou 11 meses com sua mente muito perturbada, depois que alguém colocou drogas em sua bebida. Chegou a ficar hospitalizado, só conseguia dormir com alguém por perto conversando com ele e tinha pensamentos aterrorizantes que invadiam sua consciência. “Eu ficava tocando piano sem parar por horas para manter minha mente longe daqueles pensamentos”, lembra-se. Durante as filmagens do novo filme, Foxx revelou que teve flashbacks daqueles momentos de sua adolescência e que chegou a ter ataques de pânico e surtos de paranóia. “Eu cheguei a pensar em desistir do filme, tinha medo e vontade de sair correndo do set, mas aceitei o desafio”, afirma (ContactMusic.com)… Leia Mais.
Assista ao trailer do filme aqui.
13/04/09 – Estudo comprova efeito de treinamento cognitivo computadorizado em pacientes com esquizofrenia.
– Um estudo conduzido em São Francisco pelo Veterans Affairs Medical Center avaliou 55 voluntários com esquizofrenia num programa de treinamento das habilidades mentais conhecido por Brain Fittness. Através de programas de computador para melhorar o desempenho cognitivo, os voluntários eram submetidos a tarefas que envolviam da capacidade de discernir vários tons musicais à compreensão de uma narrativa, por um período de 50 horas divididas em 10 semanas de treinamento. Depois foram aplicados testes neuropsicológicos que avaliam funções como atenção, aprendizado e memória. O grupo que fez o treinamento teve um desempenho duas vezes superior ao grupo que, ao invés do treinamento, passou o tempo jogando vídeo-game. “Este não é o primeiro estudo que usa programas de computador para melhorar a performance cognitiva na esquizofrenia, mas é o pioneiro em iniciar com tarefas que melhorem a capacidade de processamento de informações sensoriais para depois treinar habilidades que requerem um processamento cognitivo mais elaborado”, diz Susan McGurk, pesquisadora do Dartmouth Medical School, de Hanover. O estudo traz mais esperança para o tratamento dos sintomas cognitivos da esquizofrenia e para a recuperação das capacidades de trabalho e vida social, considerados os maiores desafios do tratamento da esquizofrenia na atualidade (AktuelPsikoloji.com)… Leia Mais.
10/04/09 – Estudo liga gene NOS1AP à esquizofrenia. Pacientes teriam uma variação nesse gene com frequência maior do que a população geral.
– Um estudo analisou genes de 24 famílias canadenses com histórico de vários casos de esquizofrenia e encontrou uma alteração funcional num gene chamado de NOS1AP que aumenta a expressão genética. O achado publicado em abril na revista American Journal of Psychiatry confirma um estudo anterior que demonstrou o aumento da expressão do gene NOS1AP no cérebro de pessoas com esquizofrenia. Este é um passo importante para conhecer mais sobre a doença, mas são necessárias mais pesquisas. “Isto não significa que se você tem esse gene alterado, você terá a esquizofrenia. Mais de 40% das pessoas tem essa variação genética, mas somente 1% adoece e nem todos que adoecem têm essa variação”, diz Dra Linda Brzustowicz, geneticista da Rutgers University, em Nova Jersey. Ela frisa que a esquizofrenia não é uma doença de um gene só e que fatores ambientais são igualmente importantes. “A freqüência do gene NOS1AP alterado é maior entre as pessoas com esquizofrenia do que na população geral. Neste estudo, por exemplo, 55% dos pacientes com esquizofrenia tinham essa variação genética”, conclui (Forbes.com)… Leia Mais.
07/04/09 – “Ilusão da máscara oca” pode ser uma chave para a descoberta da causa da esquizofrenia, segundo estudo.
– Dizer qual a frente e qual as costas de uma máscara pode ser mais difícil do que parece, graças a um efeito chamado “ilusão da máscara oca” (hollow-mask illusion). Nosso cérebro tem dificuldade de decidir se a imagem é convexa ou côncava. Nova pesquisa publicada na Revista Neuroimage mostrou que na esquizofrenia esta ilusão pode não ocorrer. No estudo, voluntários foram submetidos a exames de ressonância magnética funcional enquanto olhavam fotos, algumas delas fotos de faces normais e outras de faces invertidas (como na ilusão da máscara oca). Todos os participantes com esquizofrenia conseguiram distinguir entre as duas fotos, enquanto os voluntários saudáveis foram enganados em 99% do tempo. O resultado sugere que o processo de coletar as informações visuais que chegam e o processo de interpretação dessas informações são diferentes na esquizofrenia. Isso pode remeter à questão fundamental da doença, que seria a dissociação ou desconexão entre diferentes áreas cerebrais (NewScientist)… Leia Mais.
Veja a mesma ilusão provocada por esse vídeo com a máscara de Chaplin.

04/04/09 – Cientistas ingleses descobrem 49 genes que funcionam de maneira diferente em pessoas com esquizofrenia.
– No maior estudo deste tipo, publicado na Revista Molecular Psychiatry, cientistas do Imperial College de Londres identificaram 49 genes que funcionam de forma diferente no cérebro de pessoas portadoras de esquizofrenia. Muitos desses genes estão envolvidos na sinalização entre neurônios, o que fortalece a idéia de que na esquizofrenia ocorra algum problema de comunicação entre as células nervosas. Um dos pesquisadores, o Professor Jackie de Belleroche, disse que esse é o primeiro passo para se chegar a tratamentos mais efetivos. “Precisamos entender o que de fato está acontecendo no cérebro, descobrir os genes envolvidos e o que eles estão fazendo para desenvolvermos tratamentos mais específicos. Nosso estudo estreitou os caminhos para possíveis alvos de tratamento”, afirma. Eles analisaram o tecido cerebral de 28 esquizofrênicos que doaram seus cérebros para estudo (News Medical Net)… Leia Mais.

Compartilhe: